II Jornadas de Serviço Social

Dia 18 de março ( segunda-feira) deu-se início à segunda edição das Jornadas de Serviço Social, no polo da Escola de Ciências Humanas e Sociais (ECHS) da Univerdade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

            Este ano o tema explorado para a realização das mesmas foi o papel das mulheres na sociedade atual, assim como a igualdade de género e a justiça social. Com o slogan “Qual é o teu super poder?”, o Núcleo de Estudantes de Serviço Social (NESS) inspirou-se no mundo dos super heróis da Marvel para desenrolar os quatro dias de jornadas.

            Na sessão de abertura as jornadas contaram com a presença de quatro membros de grande importância para o evento: o diretor da ECHS, o presidente da Associação Académica da Utad (AAUTAD), a Presidente e a Vice-presidente do curso de Serviço Social. Todos eles parabenizaram a organização do evento e desejaram todo o sucesso para os quatro dias de palestras e atividades que se realizariam.

            Sendo o Dia Mundial de Serviço Social celebrado a 19 de março, tal não passou em branco neste evento sendo comemorado em simultâneo com as palestras e os oradores que estiveram presentes.

            O dia 18 teve como estrela de cartaz a Mulher Maravilha associada ao tema da desigualdade de género. A primeira oradora a subir ao palco foi Mónica Sousa, com o projeto Chega-Sopro. Psicóloga formada pela Universidade do Minho com área de especialização em Psicologia da Justiça e Reinserção Social, é a responsável pelo Gabinete de Atendimento à Vítima de Violência Doméstica da Associação SOPRO em parceria com o Município de Vila Verde. O projeto está orientado para capacitação técnica de públicos que intervêm com a comunidade em geral (crianças, jovens, adultos) e centra as suas ações na promoção e defesa da Igualdade de Género, de Combate à Violência Doméstica e de Género e ao Tráfico de Seres Humanos. A plateia envolveu-se bastante com a oradora e foram debatidos temas bastante sensíveis quanto à violência no namoro e a desigualdade entre géneros.

            A segunda oradora do dia de abertura foi Mafalda Ferreira, coordenadora executiva do Programa UNi+ 2.0 - Programa de Prevenção da Violência no Namoro em Contexto Universitário da Associação Plano I. Esta associação sem fins lucrativos, fundada no Porto em 2015, norteia a sua ação pelo primado dos Direitos Humanos. Os seus grandes objetivos são a promoção da igualdade de género e o combate à violência doméstica. A oradora esclareceu a plateia presente face à definição de feminismo, ajudou a perceber a distinção entre sexo e género e ainda tocou em pontos sensíveis como a diferença salarial entre homens e mulheres em Portugal.

            A última atividade do dia foi denominada World Coffe, na qual foi debatida a temática Desigualdade de Género respondendo à pergunta “Já se nasce homem/mulher ou torna-se?” Os participantes concluíram que biologicamente podemos nascer homem/mulher, sexo masculino ou feminino, mas posteriormente, devido ao contexto e à sociedade onde nos inserimos é desenvolvida a identidade de género.

            Para o fecho do dia de abertura, foi organizado um encontro com atividades convívio no bar Insomnia por volta das 22h.

 O dia 19 de março, foi o segundo dia das Jornadas de Serviço Social, sendo este dedicado ao tema LGBTI, tendo, em primeiro lugar, a presença da Rede Ex- Aequo- Apoio a Jovens LGBTI e, de seguida, da oradora Sara Forte que falou sobre os Projetos LGBTI, como por exemplo, a Casa  Arco Íris e Centro Gis.

Sara Forte explicou que o nome do Centro Gis é uma homenagem a Gisberta Salce Júnior que sofreu de transfobia. Gisberta Júnior foi assassinada, em 2006, tendo sido espancada e violada por um grupo de adolescentes. Este centro foi criado “ para não haver mais Gisbertas”.  O dia prosseguiu com o World Coffee e terminou com a Marcha pelos direitos LGBTI que percorreu a Universidade de Trás-os- Montes e Alto Douro, onde os alunos de vários cursos se juntaram para mostrar que estão atentos ao que se passa à nossa volta e que não deixarão a descriminação, racismo ou transfobia continuar a acontecer sem nada ser feito em relação a isso. À noite, realizou-se uma festa LGBTI no Decretus que animou os participantes, contando com a presença de Drag Queens.

O terceiro dia, contou com a presença de várias associações, entre elas a Associação de Apoio a portadores de Trissomia 21- AMAR 21, uma associação sedeada na cidade de Barcelos, fundada no ano de 2012, por pais, familiares, amigos e técnicos de crianças com Trissomia 21. Seguidamente, tivemos a presença da Associação  de Pais e Amigos de Crianças com Cancro- ACREDITAR, uma rede de partilha de afetos feita de crianças, jovens, pais e amigos que existe desde 1994.

A terceira associação presente foi a Associação NO MEIO DO NADA, que fornece serviços de apoio de natureza moral a pais e familiares com vivências em Cuidados Intensivos Neonatais e Pediátricos, tendo objetivos desde o facilitamento do   processo de comunicação entre os pais e profissionais até ao apoio no luto.

Entre o Coffe Break e o World Coffe, estas Jornadas ainda contaram com a presença da Aliança Europeia contra a  Depressão em Portugal-EUTIMIA que fornece serviços que respondam às necessidades dos utilizadores de forma integrada e concentrada. Podendo esses serviços ser de natureza clínica e suporte, jurídicos, sociais e outros.

No último dia de Jornadas, estiveram presentes os oradores Ana Rita que falou sobre a importância do apoio comunitário e das ferramentas comunicativas na sociedade. Esteve, também presente, o  Presidente da Junta de Carnide, Fábio Sousa, que apresentou um projeto inovador de integração e socialização num bairro difícil que hoje é um exemplo de Portugal por tudo o que alcançou nos últimos anos, nomeadamente a segurança, a educação e o melhoramento de condições de vida dos seus fregueses. E o Gonçalo Santos, que falou no seu projeto “ Futebol de Rua- CAIS” e na importância deste na vida social dos jovens e nas suas comunidades.

Para terminar os quatro dias de Jornadas de Serviço Social,  foram feitas algumas perguntas à Presidente do Núcleo de Serviço Social, Cidália Fonseca, que afirmou que “As jornadas têm corrido como nós tínhamos previsto e às expectativas que nós tínhamos, mas que secalhar tem tido pouca adesão. Nós pensávamos que ia ter mais adesão, não sabemos os motivos. O que tínhamos planeado está a corresponder às expectativas que tínhamos idealizado. Também são 4 dias.”

Catarina Gonçalves, membro do Departamento de Ação Social, avalia as Jornadas de forma positiva comentando que  “O feedback é positivo. Mesmo dos oradores. Gostam muito do nosso conceito “Qual é o teu superpoder?”, temos um super-herói como embaixador para cada dia. Durante os 4 dias falamos sobre a igualdade de género, LGBTI, Saúde Mental e Exclusões Sociais.”

 

Andreia Coutinho

Eduarda Fernandes

Francisca Silva

Sara Morais

Vera Salazar

Fotografia: O Torgador (Adriana Marques, Cláudia Canelas, Luísa Cruz, Eduarda Oliveira, Daniela Magalhães)

Avatar

Criado Por:

O Torgador

Partilhar:
Este website usa cookies para melhorar a experiência do utilizador. Ao continuar a utilizar o website, assumimos que concorda com o uso de cookies. Aceito Ler Mais