Governo recorre a fundo de reabilitação de edifícios para criar residências universitárias

As autarquias e as instituições de ensino superior públicas vão ter a possibilidade de recorrer a um fundo de reabilitação de edifícios, caso as queiram disponibilizar para residências universitárias, de modo a combater as altas rendas que se fazem sentir no país.

A carência de camas para estudantes universitários amplificou-se nos últimos anos e Vila Real é uma das cidades nas quais, com o aumento de procura de alojamento pelos jovens universitários, os preços por uma renda dispararam.

O presidente do Concelho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) e Reitor da UTAD, António Fontainhas Fernandes, reivindicou a necessidade de encontrar uma solução para a criação de novas camas para as universidades e politécnicos, sugerindo a requalificação dos edifícios que as autarquias e as instituições do estado têm disponíveis. Em resposta, o Governo deu o seu aval e publicou uma lista com todos os edifícios do estado disponíveis para serem adaptados a residências universitárias.

Esta medida será complementar aos 15 milhões de euros que o Governo prometeu investir na criação de duas mil novas camas até 2021, através do Fundiestamo. Destas duas mil, as primeiras 700 camas deverão ficar prontas já em 2019.

 

Sara Morais

Imagem: TSF

Avatar

Criado Por:

O Torgador

Partilhar:
Este website usa cookies para melhorar a experiência do utilizador. Ao continuar a utilizar o website, assumimos que concorda com o uso de cookies. Aceito Ler Mais